Evento Pimp my Bike será feito pela Ciclomobilidade em parceria com estudantes da Unit





Trabalhadores que usam a bicicleta como meio de transporte podem se programar: no próximo sábado, haverá manutenção e pintura gratuitas para as magrelas, na Praça da Faculdade, a partir das 8h. A iniciativa é do coletivo Ciclomobilidade, em parceria com estudantes de Arquitetura e Urbanismo da Unit (Centro Universitário Tiradentes).
O evento foi batizado de Pimp My Bike. Além de turbinar bicicletas de trabalhadores do bairro, os ciclistas também ocuparão a praça, a partir das 14h, com atividades culturais, graffiti, slackline, música, fitdance e recreação. Tudo gratuito para a população. Às 17h, haverá um desfile das bikes “reformadas” pela Avenida Siqueira Campos, uma das principais de Maceió.
Em novembro do ano passado, uma contagem feita pela Ciclomobilidade mostrou que quase 2 mil ciclistas passam pela avenida diariamente. A ciclista Juliana Agra, membro do coletivo, explica que sábado também será o momento de recolher apoio para um abaixo-assinado que pede a implantação de uma ciclovia na avenida.




“Já passou da hora dos ciclistas terem plena segurança no trânsito de Maceió. A maioria das pessoas que usam a bicicleta aqui nessa região são trabalhadores e estudantes do bairro, muitos transportam crianças e familiares pela avenida. Queremos respeito para quem não pode ou escolhe não usar o carro como meio de transporte”, diz Juliana.
De acordo com a estudante Morgana Rocha, a ideia do evento surgiu de uma provocação feita por um professor em sala de aula. Ela conta que nunca tinha parado para pensar na bicicleta como uma forma de deslocamento urbano até que um professor pediu que a turma observasse um problema na cidade e chamasse a atenção para ele.
“Então percebi como as cidades brasileiras não nos incentivam ao transporte ativo e também como elas não são democráticas. O carro é o maior protagonista do espaço urbano e quem anda a pé ou de bicicleta é meio que descartado no trânsito. Agora, queremos chamar a atenção das pessoas para esse problema. Eu mesma não ando de bicicleta porque tenho medo. Mas se tivesse essa garantia na segurança, quanta gente não usaria esse meio de transporte?”, analisa a estudante.
A contagem da Siqueira Campos e outras ações da Ciclomobilidade estão disponíveis para consulta no nosso site