A pesquisa de “contagem de ciclistas” foi desenvolvida pela ONG

Transporte Ativo e adota um método simples: a partir do preenchimento

de planilha específica, contabiliza­se a quantidade de ciclistas que

passam pelo ponto de coleta de dados. Assim, além da quantidade, por

hora, que circula em cada direção e sentido, registram­se informações

subjetivas importantes como presença de carona, uso de capacete,

gênero do ciclista e tipo de bicicleta (comum e cargueira ou serviço).

As equipes de coleta contaram sempre com o limite mínimo de três

agentes, que dividem as vias a serem contadas. Não há qualquer

indisposição quanto a um limite máximo de contadores num mesmo

intervalo de tempo, mas, efetivamente, três agentes são suficientemente

eficazes na captura dos dados.


As equipes de coleta contaram sempre com o limite mínimo de três

agentes, que dividem as vias a serem contadas. Não há qualquer

indisposição quanto a um limite máximo de contadores num mesmo

intervalo de tempo, mas, efetivamente, três agentes são suficientemente

eficazes na captura dos dados.



A Avenida Menino Marcelo é uma das vias mais importantes de

Maceió. Classificada como arterial principal, com 11 km de extensão,

inicia­se no bairro do Tabuleiro dos Martins e interliga diversos bairros

com grande densidade populacional como Cidade Universitária,

Benedito Bentes, Jardim Petrópolis, Ouro Preto, Serraria e Barro Duro,

sendo, portanto, uma via que conecta diversas áreas importantes da

cidade.


O local escolhido apresenta grande circulação de veículos

motorizados, em especial caminhões e ônibus, ciclistas e pedestres. Foi

observado que o cruzamento oferece uma estrutura muito precária para

pedestres e ciclistas, com a ausência de calçadas e travessias seguras.

Para os ciclistas o risco é ainda maior: a ausência de estrutura

cicloviária e a grande circulação de veículos pesados tornam a via

bastante hostil e o risco de atropelamentos é significativo.





Com 2.576 ciclistas em um intervalo de 15 horas, os números

superaram, mais uma vez, as expectativas da própria associação

Ciclomobilidade, assim como aconteceu após a primeira contagem,

realizada na Avenida Fernandes Lima, onde foram registrados 1.156

ciclistas no mesmo intervalo de horas.


Ambas as contagens evidenciam a demanda real de pessoas que

utilizam a bicicleta como modal de transporte, alternativo aos usuais

veículos automotores coletivos e individuais, numa região de intensa

circulação e fluxo de indivíduos. A Ciclomobilidade ressalta: existe em

Maceió uma parcela significativa da população que mantém a utilização

da bicicleta como meio de transporte e trabalho, efetivamente. Estes

são dados atualizados que muito bem refletem o cotidiano da

mobilidade em Maceió, onde os investimentos em infraestrutura

cicloviária ainda são bastante pontuais...