A pesquisa de “contagem de ciclistas” foi desenvolvida pela ONG Transporte Ativo e adota um método simples: a partir do preenchimento de planilha específica, contabiliza­se a quantidade de ciclistas que passam pelo ponto de coleta de dados. Assim, além da quantidade, por hora, que circula em cada direção e sentido, registram­se informações subjetivas importantes como presença de carona, uso de capacete, gênero do ciclista, tipo de bicicleta (comum e cargueira ou serviço), uso de calçadas ou do canteiro central e ainda se a bicicleta é conduzida no fluxo ou contrafluxo permitido na via.







A contagem, realizada no dia 24 do mês de fevereiro de 2016, uma quarta­feira, foi iniciada às 5 horas da manhã, e encerrada às 20 horas, totalizando 15 horas ininterruptas de coletas de dados. Durante este intervalo, foi feito também o registro fotográfico de algumas peculiaridades locais que puderam ser constatadas.





A Avenida Fernandes Lima é uma das vias mais importantes de Maceió. Classificada como arterial principal, tem pouco mais de 4 km de extensão, sendo uma continuação viária da Avenida Durval de Góes Monteiro e na sua outra extremidade conecta­se com o bairro do Centro e do Poço. Sendo, portanto, uma via que conecta diversas áreas importantes da cidade.

O ponto de contagem foi escolhido a partir de uma consulta dentre os associados da Ciclomobilidade, após identificação de um local que pudesse representar, satisfatoriamente, os traslados adotados pelos condutores da parte alta da cidade. Foi considerada ainda, para a escolha, disponibilidade logística de recursos humanos, uma vez que se tratou de trabalho voluntário, não remunerado.





O acompanhamento mais aproximado da realidade de um pequeno, mas estratégico, local da cidade, mesmo que por um esforço pontual, revelou uma dinâmica da mobilidade por vezes invisível e alheia à visão limitada da perspectiva do interior de automóveis individuais ou coletivos. Confira­se.Após 15 horas de trabalho, contabilizou­se um total de 1.156 ciclistas